Comparação das respostas cardiorrespiratórias e antropométricas do exercício máximo de alunos de educação física atletas e não atletas

Nome: Tomás do Nascimento Perez
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luciana Carletti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adilson Marques Examinador Externo
Luciana Carletti Orientador
Rodrigo Luiz Vancini Examinador Interno

Resumo: Introdução: Existem alguns benefícios imediatos que a prática da atividade física pode trazer
para crianças e adolescentes, sendo um deles a melhoria da aptidão física relacionada à saúde.
Dentre estes benefícios podemos destacar melhorias na flexibilidade, força muscular e na
aptidão cardiorrespiratória. Apesar dos benefícios que a prática de atividade física traz para a
saúde, muitos trabalhos tem mostrado que o percentual de jovens que apresentam níveis
insuficientes de atividade física é elevado. A partir de projetos dentro das aulas de educação
física e atividades extracurriculares, as escolas podem exercer um papel importante na criação
de hábitos saudáveis e melhoria da aptidão cardiorrespiratória dos adolescentes. Entretanto,
embora os adolescentes na fase escolar possam estar envolvidos em algum tipo de atividade
física durante as aulas, isso não garante que possam estar vivenciando esforços físicos de
intensidades adequadas e por períodos de tempo de duração suficientes para induzir
adaptações fisiológicas voltadas à saúde. Objetivo: Comparar as variáveis antropométricas e
respostas cardiopulmonares entre adolescentes escolares que praticam educação física e os
que somados a esta atividade fazem parte do programa de treinamento esportivo oferecido
pela escola. Metodologia: Estudo transversal com amostra composta por 21 adolescentes
não atletas (12 meninas e 9 meninos) e 24 atletas (8 meninas e 16 meninos) com idades entre
14 e 15 anos. Além da aptidão cardiopulmonar, os adolescentes foram submetidos à avaliação
do peso, altura, percentual de gordura, nível de atividade física, maturação sexual e teste de
flexibilidade. O teste cardiopulmonar de exercício foi realizado em esteira ergométrica
(Inbrasport Super ATL, Rio Grande do Sul, BR), utilizando o analisador de gases Córtex
Metalyzer 3B. Para a análise estatística foi utilizado Teste t de student para as comparações
entre os grupos, e a significância estatística foi de p<0,05. Resultados: Não foram
encontradas diferenças significativas entre os grupos atleta e não atleta para as variáveis
antropométricas, independente do sexo. Entretanto, o grupo de atletas do sexo masculino
apresentou melhores resultados de VO2 máx. quando comparado com o grupo não atleta,o
mesmo não ocorreu com as meninas. Conclusão: Concluiu-se que apenas os meninos do
Grupo Atleta tiveram maior aptidão cardiorrespiratória quando comparado com o Grupo de
não atletas, sugerindo a influencia do treinamento esportivo nos resultados.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910