Influência das Vias de Oxidação Lipídica e Perfil Metabólico sobre o Desempenho Físico de Ratos Resistentes à Obesidade

Resumo: A resistência à obesidade (ROb) está associada à interação complexa de diversos fatores metabólicos e ambientais e confere a capacidade de menor ganho de peso e deposição de gordura corporal mesmo ao ingerir dietas com alto teor calórico. Estudos que utilizam a identificação da ROb por submissão à dieta apresentam maior aproximação das características dos seres humanos, tendo em vista
que fenótipos magros são observados em alguns indivíduos e em outros não, mesmo com padrões alimentares e nível de atividade física similares. O tecido adiposo é vital para os mamíferos e dentre suas múltiplas funções, a manutenção da homeostase energética é fundamental em períodos de escassez de alimentos. O metabolismo dos lipídios é marcadamente complexo devido a seus muitos processos, dentre os quais, destacam-se três eventos: armazenamento, mobilização e utilização. O tecido muscular, por sua vez, apresenta grande contribuição na redução do tecido
adiposo, atuando na utilização dos ácidos graxos. Nesse sentido, levando em consideração o trabalho muscular e oxidação lipídica, alguns autores testaram a hipótese de que ratos ROb teriam
menor deposição de gordura corporal e maior fator de atividade física. Contudo, mesmo ainda havendo lacunas na literatura sobre os processos metabólicos que expliquem a ROb, há indícios que suportam a hipótese de que animais ROb são mais ativos fisicamente e quando submetidos ao treinamento físico apresentarão maior performance devido a maior capacidade de geração de ATP proveniente da oxidação lipídica. Pesquisadores corroboram ao demonstrarem que ratos ROb apresentam maior coeficiente de troca respiratória, o que per se é
um indicativo de eficiência de metabolização de AG como substrato energético. O aumento da utilização de ácidos graxos (AG), aumenta produção de ATP, melhora a contratilidade e trabalho muscular. Portanto, animais que com melhor eficiência das vias de oxidação lipídica podem apresentar menor deposição de gordura corporal e, consequentemente, desenvolver maior rendimento no treinamento físico. Serão utilizados 100 ratos Wistar, com 30 dias de idade,
submetidos a protocolo de indução (5 semanas) e exposição à obesidade (3 semanas), totalizando 8 semanas consecutivas. Os ratos serão randomizados em dois grupos: a) DP: alimentados com
dieta padrão (n = 50) e b) DH: alimentados com dieta hiperlipídica saturada (n = 50). Após aplicação do ponto de separação (PS), ponto médio entre o peso corporal, os animais serão distribuídos em 4 grupos: Controle, Falso Controle, Obeso e Resistente à Obesidade os quais serão submetidos análise do fator atividade física por roda de corrida voluntária e aos testes de esforço físico: teste de força por escalada em escada para ratos e teste de velocidade máxima em
esteira rolante para ratos. Para determinação do consumo de oxigênio e predominância das vias energéticas será utilizada o Coeficiente Respiratório obtido por câmara de quantificação de gases
para ratos. A análise funcional do músculo esquelético será realizada in situ por meio de estimulação elétrica utilizando transdutor de força acoplado a pata do animal e conectado a software específico. As vias de oxidação lipídica serão identificadas por marcadores específicos
e quantificadas pelas técnicas de biologia molecular Western Blot e PCR Real Time. Serão analisados: peso corporal, percentual de gordura, índice de adiposidade, parâmetros nutricionais,
metabólicos e pressão arterial sistólica final (PAS). A concentrações plasmáticas dos hormônios epinefrina e adiponectina serão determinados por ELISA. As características morfométricas do
tecido adiposo e músculo esquelético serão avaliadas post mortem por estudos macroscópicos e microscópicos. A comparação dos grupos experimentais será realizada por ANOVA para dois fatores, complementada com teste de comparações múltiplas de Bonferroni. O nível de significância considerado para todas as variáveis será de 5%.

Data de início: 2018-08-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Jóctan Pimentel Cordeiro
Colaborador Márcia Regina Holanda da Cunha
Coordenador André Soares Leopoldo
Pesquisador Lucas Guimarães Ferreira
Vice-Coordenador Ana Paula Lima Leopoldo
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910