Infância e Natureza: uma investigação sobre educação e lazer na cidade de Vitória/ES

Nome: Angélica Caetano da Silva
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 12/12/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Felipe Quintão de Almeida Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Cristina Richter Coorientador
Felipe Quintão de Almeida Orientador
Ivan Marcelo Gomes Examinador Interno
Jaison José Bassani Examinador Externo
Raumar Rodrígues Giménez Examinador Externo
Valter Bracht Examinador Interno

Resumo: A presente tese objetiva descrever e analisar relações entre lazer e educação da infância na cidade – mediadas pela brincadeira e pelo brinquedo – a partir de uma incursão em dois lugares empíricos: uma instituição de educação infantil e um parque público, ambos na cidade de Vitória/ES. Em interlocução com os trabalhos de Adorno e Horkheimer em torno da indústria cultural, assim como com os escritos de Walter Benjamin em sua arqueologia da modernidade, focaliza as relações entre natureza e cultura que são produzidas e se produzem na cidade. Nela emergem “lamentos antiurbanos” que exaltam a necessidade da vida ao ar livre, de exercícios físicos e jogos junto à natureza, entre outros, que reivindicam a criação de novos espaços. Tais espaços produzem e redesenham uma natureza interna à cidade, na qual a infância entra em cena como expressão de uma natureza (humana). Nesse contexto se (re)configuram ambientes de lazer e de educação, na mesma medida em que se (re)organizam as relações entre adultos e crianças, as tipologias e as finalidades dos brinquedos e das brincadeiras que se atualizam historicamente e que, no contemporâneo, se apresentam com novas faces, mediante uma explosão de práticas e discursos que atualizam e põem em relevo o “natural” na tríade infância, lazer e educação infantil. De caráter qualitativo e inspiração etnográfica, com fontes produzidas por meio de análise documental, observação de campo e entrevistas com atores que atuam na educação e no lazer da infância, o trabalho expõe três categorias de análise que buscam condensar o objetivo proposto e dar materialidade à nossa época: a fotografia, o oficineiro e a cerca que colocam em cheque a possibilidade de uma (re)aproximação com a natureza, que, mediada pela técnica, acaba por reafirmar, na contramão, uma relação sempre ainda danificada ou uma pseudo-reconciliação.

Palavras-chave: Natureza; Infância; Cidade; Educação Infantil; Lazer; Parque Urbano.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910